A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre

A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre

Tempo de leitura: 3 minutos

A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre, se encontra escondida num caminho sinuoso, privativo, junto a uma escadaria íngreme, rodeada por belas residências, árvores e plantas, protegida por dois portões de ferro com fechaduras eletrônicas e senhas, entre o 23 da avenida Junot e 65 da rua Lepic, no 18° arrondissement, em Paris.

A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre
Passagem da Bruxa (Passage de la Sorcière), Montmatre, (75018), Paris.

A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre:

Muitas lendas e histórias foram contatadas, a mais fascinante é sobre a senhora idosa que teria vivido num grande casarão, sozinha e abandonada pela família, em frente a uma misteriosa rocha de pedra, que ninguém sabe dizer como chegou lá.

Os mais imaginativos dizem que é um meteorito caído do espaço, outros mais exotéricos, dizem ter sido trazido por druidas, para rituais de bruxaria, no século III a.C.

A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre
Rocha Bruxa (Rocha Sorcière), na Passagem da bruxa. Foto: Caroline Shanti Renault.

O que se sabe, segundo uma análise de especialistas é que a rocha veio da região do Marne, próximo a cidade de Reims (leste de Paris), e é o vestígio de uma antiga fonte de pedra, abandonada no local, esculpida pelo homem. Pelo desgaste natural do tempo, ficou com o aspecto atual, misteriosa, sinistra, deformada, cheia de reentrâncias, ornamentadas de plantas, limo e ervas daninhas.

A rocha numa certa época era chamada: “Rocher Sourcière”, (sendo Rocher = Rocha, e Source = Fonte, e Sourcière = referente a uma local que se encontra uma fonte, Rocha da Fonte), teve o nome mudado pelas crianças do bairro para: “Rocher de la Sorcière”, (Rocha da Bruxa), por causa da velha senhora solitária, que vivia, em frente a rocha, e que por brincadeira a chamavam de “la vieille Sorcière”, (a velha Bruxa).

Casarão esse, vendido e reformado, se transformou no charmoso e romântico, Hotel Particulier.

Hotel Particulier, no antigo casarão da Bruxa de Montmatre, Paris.

Consequentemente o caminho que nunca teve um nome oficial dado pela Prefeitura, mas que os antigos a chamavam de “Passage de la Sourciére” (Passagem da Fonte) passou a ser chamado por brincadeira das crianças de: “Passagem de la Sorcière” (Passagem da Bruxa).

Passagem interditada aos turistas:

Durante a 2° Guerra Mundial, a passagem foi muito usada pela resistência francesa que a usavam para se esconderem dos alemães nazistas. Com o tempo, passou a ser frequentado por turistas e curiosos sobre a lenda da bruxa, e principalmente por moradores do bairro, que a utilizavam como um corta caminho, entre as duas ruas, Lepic e Junot.

A lenda da rocha e da passagem da bruxa em Montmatre
Passagem da Bruxa, (passage de la Sorcière), Paris. Foto: Montmatre-Addict

Os moradores se sentindo invadidos durante o dia pela onda de turistas, e a noite preocupados pela frequentação de drogados, traficantes, brigas de gangues, pichações nas paredes, odores de urina, fraca iluminação dos postes, escadas danificadas…Ou seja, um pacote de desgraças, conseguiram (ou forçaram) junto a prefeitura do 18° arrondissement, o fechamento total da passagem.

Liberado somente para moradores da Passagem da Bruxa, e para os clientes do Hotel Particulier.

A dica para quem quiser visitar a Passagem e a Rocha é fazer uma reserva para almoço ou jantar no restaurante bistronomique do hotel ou somente ir tomar um drinque no bar. Dizem que é maravilhoso e inesquecível.

Está em andamento, um processo na justiça, aberto por habitantes e personalidade famosos de Montmatre, para a liberação da passagem a todos os cidadães, mas sem data de julgamento.

Vai viajar e precisa de dicas sobre Paris? Clique aqui.

Quer saber como viajar barato pela França? Clique aqui.

Quer participar no nosso grupo de Segredos de ParisClique aqui.

2 Comentários


  1. Mais um artigo misterioso e intrigante do Mestre Tom Pavesi! Muito obrigado por compartilhar conosco!

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *