O código das pintas falsas em Versalhes

O código das pintas falsas em Versalhes

Tempo de leitura: 2 minutos

O Código das pintas falsas em Versalhes! Qual você usaria em uma festa?

No final do século XVII, durante o reinado de Luís XIV (1643-1715) virou moda a utilização da peruca e da pinta falsa no rosto.

Foi nesse mesmo período que a moda das falsas pintas –“les mouches” (as moscas) – surgiu especificamente para esconder pequenas imperfeições como; sinais de nascença, cravos, espinhas, cortes, e principalmente marcas deixadas por doenças como a varíola.

Durante as festas em Versalhes, nos reinados de Luís XIV, Luís XV (1715-1774) e Luís XVI (1774-1792), “les mouches” se tornaram um dos principais acessórios de beleza da aristocracia feminina, que servia como importante instrumento para conquistas, sedução e charme, de homens solteiros, viúvos e casados.

Embora também usados por uma minoria de homens, elas ficaram famosas nos rostos das principais damas da corte que buscavam aventura, fama e fortuna.

Na festas de Luís XIV as pintas falsas eram redondas em veludo. Já nos reinados de Luís XV e XVI, as pintas nos rostos femininos e masculinos tornaram-se moda, passando a serem confeccionadas em tafetá, em seda, musseline… E em diversas formas: coração, estrela ,“croissant”, lua crescente…

O Código das pintas falsas em Versalhes
Caixa madrepérolas com pintas de veludo, pincel e fixador.

A localização da pinta colocada estrategicamente no rosto, e no corpo tinha como objetivo revelar naquele momento, a personalidade, o temperamento, e as intenções daquela portadora:

O Código das pintas falsas em Versalhes, exemplos:

A majestosa (la majestueuse), no centro testa.
A assassina (l’assassine), perto do olho esquerdo.
Aberta a proposições (la galante), na bochecha
A beijoqueira (l’baiseuse), na saliência do sorriso, no canto da boca.
A discreta (La discrète ou timide), canto inferior da boca
A brincalhona (l’enjouée), sobre o queixo.
A generosa (la généreuse), acima dos seios.
A ladra “de corações” (la voleuse), abaixo do pescoço.
A sedutora (la coquete), canto da boca.
A libertina (la libertine), acima da boca
A amorosa casada ( l’amoureuse mariée), perto do nariz
A apaixonada (la passionnée), perto do olho.
A guardadora de segredos (la recéleuse ou voleuse), sobre uma pinta verdadeira.

O Código das pintas falsas em Versalhes
Pintas sobre “Retrato de jovem mulher” (1750), de François Boucher (1703-1770).

Segundo a minha pesquisa, os pontos exatos das pintas, variam de autor para autor, portanto aqui está somente uma interpretação pessoal do que poderia ser uma destas posições.

Gostaria de fazer uma visita guiada em Paris? Então clique no botão abaixo para mais informações e agendamento. Aguardo seu contato! Tom Pavesi!

Conheça também nosso site Guia do Louvre, onde histórias e análises de obras são contados.

3 Comentários


  1. Como sempre, leitura agradável, inteligente e fascinante sobre a história da aristocracia francesa. ♡

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *