O relógio público mais antigo de Paris

O relógio público mais antigo de Paris

Tempo de leitura: 7 minutos

O relógio público mais antigo de Paris se encontra na Ilha de la Cité, na parede externa da Torre quadrada do Relógio, na atual Conciergerie (2 Boulevard du Palais, 75001).

O relógio público mais antigo de Paris
Relógio público, na Torre Quadrada, da Conciergerie, Paris.

Entre 1350 -1353, durante o reinado de João II (1350 -1364) foi construído no antigo “Palais de la Cité” (Palácio da cidade), uma torre quadrada, de pedra, com paredes de quase 1 metro de espessura.

Na cobertura da sala do último andar, um campanário que tinha como objetivo vigiar quem navegava pelo rio Sena (um tipo de guarita medieval), segurança e controle para quem entrava ou saia do Castelo.

Em 1371, quando o palácio deixou de ser uma residência real e foi transformado em um Palácio de Justiça, o rei Carlos V (1364-1380) encomendou ao relojoeiro Henri de Vic, a construção de um relógio público para ser instalado em uma das paredes internas do térreo do edifício.

O relógio público mais antigo de Paris
Relógio público mais antigo de Paris

Somente em 1418, por ordens da prefeitura de Paris é que foi ordenado que o relógio, fosse colado na parede externa da torre, com objetivo para que a população pudesse resolver seus compromissos e negócios, com mais precisão nos encontros, tanto no dia, como na noite.

O relógio público mais antigo de Paris
Relógio público mais antigo de Paris.

O relógio devido aos desgastes naturais do tempo passou por importantes restaurações e ornamentações ordenadas por sucessivos reis.

Todos querendo registrar na memoria da cidade, sua passagem como dignos governantes, por suas sábias e divinas decisões de justiça deixando dessa forma uma mensagem para história dos seus heroicos feitos pela cidade e pelo país.

Detalhes marcantes de três reis:

Henrique II (1547-1559):

Podemos ver o monograma na parte semi-circular da cobertura do relógio, com as letras “H”, de Henrique II, entrelaçados com  o “C” de Catarina de Médici ou “D”, de Diana de Poitiers, sua amante preferida.

O relógio público mais antigo de Paris
Detalhe H (Henri II), C (Catarina de Médici ) ou D (Diana de Poitiers).

E podemos ver também o mesmo monograma, na parte alta do relógio, à direita e à esquerda.

O relógio público mais antigo de Paris
Relógio público mais antigo de Paris.

Henrique III (1574-1589):

Olhando para o relógio, veremos as principais restaurações aplicadas em 1585, pelo escultor Germain Pilon (1537-1590).

Detalhes das placas em latim 1 e 2 e das esculturas 3 e 4:

O relógio público mais antigo de Paris
Detalhes 1, 2, 3 e 4, no Relógio público mais antigo de Paris.

DETALHE 1: Placa em latim.

O rei Henrique III depois de ter sido coroado rei da Polônia e rei da França acreditava que ainda poderia ser coroado po DEUS, como “Rei do Céu”.

Detalhe 1, no Relógio público mais antigo de Paris.

Está escrito:

QVI DEDIT ANTE DVAS TRIPLICEM DABIT ILLE CORONAM.

ESTE QUE DEU DUAS COROAS DARÁ UMA TERCEIRA.

DETALHE 2: Placa em latim.

O rei Henrique III acreditava também que suas ações e leis em favor do povo eram tão justas quanto as horas que passam durante o dia.

Detalhe 2, no Relógio público mais antigo de Paris.

Está escrito:

MACHINA QVÆ BIS SEX TAM JVSTE DIVIDIT HORAS JVSTITIAM SERVARE MONET LEGES QVE TVERI.

ESTA MÁQUINA QUE FAZ AS HORAS EM DOZE PARTES, TÃO JUSTAS, ENSINA A PROTEGER E A DEFENDER AS LEIS.

DETALHE 3: Escultura em baixo-relevo à esquerda do observador.

Alegoria / Mulher em dourado simbolizando a LEI, vestida em azul real. Está segurando em uma das mãos, um tábua de mármore, com uma inscrição em latim, e na outra o cetro com a “mão da Justiça”, símbolo das leis dos homens:

Detalhe 3: “Lei”.

Está escrito:

SACRA DEI CELEBRARE PIVS REGALE TIME IVS.

AQUELE QUE RESPEITA A LEI SAGRADA, RESPEITA O DIREITO REAL.

DETALHE 4: Escultura em baixo-relevo à direita do observador.

Alegoria / Mulher em dourado simbolizando a JUSTIÇA, vestida em azul real. Está segurando em uma mão a balança da justiça, pronta para julgar os crimes dos homens, e na outra mão, a espada para condenar quem descumprir as leis, e as ordens soberanas do rei.

Detalhe 4: “Justiça”.

Henrique IV (1589-1610):

Na mesma cobertura onde se encontra o monograma de Henrique II, podemos também ver a monograma de Henrique IV, ou seja o “H” entrelaçado com o “M” da rainha, Maria de Médici (1575-1642). 

Detalhe: H (Henrique IV) e M (Maria de Médeci).

Acima do relógio podemos ver também que o mesmo monograma “H” de Henrique IV e “M” de Maria de Médici num friso decorativo que contorna dois brasões reais; à esquerda, brasão de Henrique IV como rei da França, simbolizado por 3 unidades de uma flor-de-Lis dourada, em fundo azul.

Detalhes brasão Henrique IV, rei da França e de Navarra.

E também, o brasão de rei de Navarra, (Henrique IV era conhecido na região de Navarra, como Henrique III, rei de Navarra), com a águia real, símbolo de força e prestígio, e o poder de voar alto junto a Deus, e ver suas obras divinas, em fundo vermelho.

O 1° Relógio público de Paris:

O relógio mais antigo de Paris é de forma quadrada com um diâmetro de 1,5 m, com raios flamejantes dourados sobre um manto real da França azulado, decorados com a flor-de-lis, (monarquia francesa).

Os ponteiros são de bronze sobre cobre, sendo que o ponteiro grande, (minutos) é em forma de lança, e o ponteiro pequeno, das horas é em forma de flor de lis (símbolo dos reis da França). Os números estão em algarismos romanos em relevos dourados.

O relógio público mais antigo de Paris
Detalhes do 1° Relógio Público mais antigo de Paris.

Uma curiosidade nesse relógio, é que o número 4 romano, está marcado IIII, em vez de IV. Uma das hipótese é que foi feito assim para dar mais estética e equilíbrio na composição dos numéros.

A distribuição das 12 horas ficaram repartidas em três grupos.

Numeral I, entre 1h e 4h = I, II, III, IIII.

Numeral V, entre 5h e 8h = V, VI, VII, VIII.

Numeral X, entre 9h e 12hs = IX, X, XI, XII.

Outra hipótese, seria que o nome do deus romano JÚPITER, na antiga Roma era chamado IUPPITER, mas em latim, o U era escrito com um V, ficando IVUPPITER. Portanto, o numeral 4 do relógio para não ter nenhuma relação com esse deus romano, foi representado desta forma, IIII.

O relógio teve sua última restauração em 2011, e restituída em novembro de 2012.

Outros pequenos detalhes no conjunto do relógio:

Flor-de-Lis:

A história de Flor-de-Lis vem da antiguidade, utilizadas em emblemas por imperadores bizantinos (século III), nos reinos Francos (século IV) e Lombardos (século V) até ser adotada oficialmente pelo rei Luís VII (1137-1180).

Luís VII, selava suas cartas patentes com o emblema estilizado da Flor-de-Lis, mas foi o rei Carlos V quem ordenou que fosse representada em 3 unidades, símbolo cristão, de uma sagração divina, ou simplesmente, a Santa Trindade.

O relógio público mais antigo de Paris
Flor -de-Lis.

Para os reis da França, as três pétalas podem significar o Poder Real, Soberania e a Lealdade ou segundo outros historiadores Sabedoria, Fé e a Verdade.

Gostou do artigo? Fique a vontade em compartilhar clicando no botão “F” (de Facebook) que acompanha o texto. Merci!

Gostaria de fazer uma visita guiada em Paris ou em outras regiões? Então clique no botão abaixo para mais informações ou no botão verde para um contato via Whatsapp. Abraços! Tom Pavesi!

Fotos: couscouschocolat

4 Comentários


  1. Aprecio muito teus artigos. Por isso gostaria de sugerir um sobre o apartamento de Coco Chanel, se é que ainda existe. Há alguns anos vi um documentário que mostrava ainda com a decoração original e informava a possibilidade de visitas agendadas. Agradeço tua atenção, Marineusa

    Responder

    1. Obrigado Marineusa. Vou pensar sobre sua sugestão. Atualmente no Palácio Galliera, (Museu da moda da cidade de Paris) estava apresentando uma retrospectiva sobre Gabrielle Chanel, mas devido a pandemia, continua suspensa até novas ordens do governo. Abraços!

      Responder

  2. Tom sempre se superando.

    Que lindo trabalho de pesquiza cheia de detalhes.
    So voce mesmo Tom ……….adorei .
    Vou a Paris em meados de julho e com certeza levarei seus artigos comigo para serem observados .
    Saude e sorte sempre para voce e sua equipe .
    Abs Neusa Marques

    Responder

    1. Tom sempre se superando.

      Que lindo trabalho de pesquiza cheia de detalhes.
      So voce mesmo Tom ……….adorei .
      Vou a Paris em meados de julho e com certeza levarei seus artigos comigo para serem observados .
      Saude e sorte sempre para voce e sua equipe .
      Abs Neusa Marques

      Com certeza o que escrevi e original …Foi escrito hoje .
      grata

      Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *