Portal do Julgamento Final na Notre-Dame de Paris

Portal do Julgamento Final na Notre-Dame de Paris

Tempo de leitura: 11 minutos

O Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris (ou Juízo Final) instalado entre 1220 e 1230 na fachada principal e central da catedral, entre o Portal da Virgem (à esquerda) e o Portal de Santa Ana (à direita).

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Catedral de Notre-Dame de Paris. Foto: Wikimedia Commons.

Uma representação do julgamento de Deus, segundo o Evangelho de São Mateus 25:31-46 onde os amaldiçoados são castigados e os abençoados bem-vindos à vida eterna.

31 – “Quando o Filho do homem vier em sua glória, com todos os anjos, ele se assentará em seu trono na glória celestial.

32 – Todas as nações serão reunidas diante dele, e ele (…)

Mateus 25:31-46
“O Juízo Final” (~1431), de Fra Angelico. Museu Nacional de São Marcos (Florença).

A crença bíblica:

Segundo a Bíblia, os homens foram ordenados a morrerem uma única vez, e cada um será julgado por Deus, pelos seus atos praticados em vida. Após sua morte, receberá uma sentença conforme sua fé e as suas obras na terra, e imediatamente sua alma imortal será enviado para o “Céu”, “Purgatório” ou para o “Inferno”.

“O Juízo Final” (1534 a 1541), de Michelangelo. Capela Sistina. Vaticano.

Essa crença do julgamento do homem por Deus é comum em quase todas as religiões do Mundo. Muitos acreditam que esse julgamento somente será realizado após o fim da raça humana, e como foi dito acima, num outro plano espiritual.

“O Juízo Final” (~1585), de Jean Cousin le Jeune (1522–1595). Louvre.  

Mas para muitos cristãos, que aguardam o retorno do Messias pela 2° vez, o julgamento poderá ainda ser feita em vida, onde receberão a recompensa prometida pelos seus atos e fé, no mesmo tempo de vida.

Regras religiosas:

A Bíblia diz que os mortos “se levantarão” durante o Dia do Julgamento. (Mateus 12:41). Jesus disse: “Vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz e sairão, os que fizeram boas coisas, para uma ressurreição de vida, os que praticaram coisas ruins, para uma ressurreição de julgamento.” (João 5:28, 29) 

Deus “julgará os vivos e os mortos”.

A composição iconográfica para execução de um portal de igreja, segue as regras do 7° Concílio de Niceia (768), onde: “A composição das imagens religiosas não deve ser deixada à inspiração dos artistas; é derivada dos princípios estabelecidos pela Igreja Católica e pela tradição religiosa. Somente a arte pertence ao artista, a composição pertence aos Padres”

As representações esculturais do interior dos portais também eram pintadas seguindo uma regra de cores codificadas no século XII, e que infelizmente se perderam pelo desgaste do tempo.

  • Amarelo (Gold), simbolizava a inteligência, grandeza e virtude.
  • Branco (Argent), simbolizava pureza, sabedoria e correção.
  • Preto (Sable), significava tristeza e vontade.
  • Verde (Sinople), representava esperança, liberdade e alegria.
  • Vermelho (Guelues) significava caridade ou vitória.
  • Azul (Azure) simbolizava o céu, fidelidade e perseverança.
  • Violeta (Pourpre) era a cor da realeza e soberania.

Portal do Julgamento Final da Notre-Dame de Paris:

Portal do Julgamento Fina na Catedral de Notre-Dame de Paris: Conjunto de elementos arquitetônicos de estilo românico ou gótico (ex: Notre-Dame de Paris) localizados tradicionalmente nas entradas oeste, das catedrais e igrejas, e são preenchidos por estátuas e esculturas em baixo-relevos que relatam uma passagem bíblica.

Portal do Julgamento Final na Notre-Dame em Paris.

Nas principais catedrais, simbolicamente são dividas em três grandes portais (trindade), emolduradas por arcos pontiagudos onde cada elemento do seu conjunto tem uma função estrutural e decorativa ilustrando através de um estatuário próprio (em pedra ou outros materiais), uma passagem bíblica.

Elementos arquitetônicos de um Portal:

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Elementos arquitetônicos de um portal gótico.

Seguindo portanto o decreto cristão de Niceia: O portal do Julgamento Final instalado entre 1220 e 1230, após os outros dois portais: da Virgem e de Santa Ana, representa o Julgamento de Deus, após o falecido ter sua alma ressuscitada.

Lintel inferior:

Lintel inferior do Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris.

Na 1° linha, no lintel inferior, (“linteau”, em francês), acima das portas, os mortos ressuscitam e saem de seus túmulos para serem julgados pelo Senhor Jesus Cristo, filho de Deus Pai Todo-Poderoso.

Lintel superior:

No lintel superior, o arcanjo Miguel pesa as almas dos homens, segundo as vidas que levaram na terra, e o amor que demonstraram para com Deus, os eleitos são levados para o Paraíso (à direita de Cristo).

Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
O arcanjo Miguel pesa as almas dos homens. Catedral de Notre-Dame de Paris.
Foto: Wikemedia Commons.

Na balança que o arcanjo Michel segura, uma boa alma foi pesada e aparentemente foi salva visto seu gesto de agradecimento, mas um demônio adulto e um pequeno, ainda tentam trapacear esse julgamento forçando a bandeja para que pese no lado dos condenados ao inferno.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
O arcanjo Miguel pesa as almas dos homens. Catedral de Notre-Dame de Paris.

Os que foram condenados caminham acorrentados e conduzidos por dois demônios, um posicionado na ponta e um outro atrás (à esquerda de Cristo). No final do percurso um condenado é jogado num caldeirão de água fervendo, e outros torturados na mesma linha de baixos-relevos das arquivoltas.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Homens condenados ao inferno andam em direção ao caldeirão de água fervendo.

As almas salvas e eleitas a entrarem no Paraíso Celeste, fixam seus olhares para o alto, manisfestando um grande amor e devoção ao Senhor Jesus Cristo, que se encontra logo acima deles (Tímpano).

Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
As almas salvas e eleitas a entrarem no Paraíso Celeste. Notre-Dame de Paris.

Tímpano:

No Tímpano (“tympan”, em francês), vemos Cristo sentado majestosamente sobre seu trono glorioso, lembrando que ele veio a terra para salvar a humanidade, pelo sacrifício da Cruz.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Cristo em majestade. Tímpano do Portal do Julgamento Final. Notre-Dame de Paris.

Como no dia da crucificação, em cada extremidade do tímpano estão presentes ajoelhados, a virgem Maria, mãe de Jesus e o apóstolo, São João, implorando a misericórdia do Senhor, em favor dos pecadores.

Ele nos mostra as Chagas de suas mãos, e dois anjos que lhe cercam apresentam respeitosamente os instrumentos da Paixão; o da esquerda, a Lança e o Pregos, e o da direita, a Cruz.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Cristo em majestade. Tímpano do Portal do Julgamento Final. Notre-Dame de Paris.

Jesus Cristo redentor, salvador das almas pecadoras, repousa seus pés na Jerusalém Celeste.

Arquivoltas:

Nas Arquivoltas (“voussures”, em francês) que encontram ao redor do tímpano e dos linteis, cenas de uma corte celeste de anjos, patriarcas, profetas, doutores da igreja, mártires e virgens…

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Seis arquivoltas entorno do Julgamento Final. Notre-Dame em Paris.

No detalhe na 1° linha (à direita de Cristo), o patriarca bíblico Abraão se encontra sentado no paraíso com três almas em forma de pequenas crianças no colo.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Abraão no paraíso reunindo três almas em forma de crianças pequenas no colo; ao fazê-lo, um tema bem conhecido na época romana foi abordado aqui.

Tema decorrente da época romana, representado no início da 2° arquivolta ao lado do lintel inferior.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Abraão no paraíso com três almas em forma de crianças

Mas nem tudo é beleza e paz, pois no lado esquerdo do lintel inferior, na 1° linha de esculturas das arquivoltas encontramos seis almas sendo torturadas por demônios. Complemento das condenações do lintel superior, (visto mais acima).

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Condenados sendo torturados por demônios. Notre-Dame de Paris.

Alma fervendo em um caldeirão de água quente (à direita) ou com essa composição original um pouco mais à esquerda na arquivolta, onde um demônio rechonchudo esmaga três reprovados: um avarento com uma corrente pendurada no pescoço, um bispo e uma figura real.

Colunas estatuárias e Mainel:

O Portal do Julgamento Final da Catedral de Notre-Dame de Paris passou por duas importantes modificações no século XVIII. A primeira, em 1771, quando o arquiteto Jacques-Germain Soufflot (1713-1780) removeu a coluna central (Mainel) entre as portas, para facilitar a passagem das procissões.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Portais e a galeria dos reis antes da restauração do arquiteto Violet-le-Duc.
Litografia do Museu Notre-Dame.

A segunda data da grande campanha de restauração do século XIX, onde o arquiteto Viollet-le-Duc (1814-1879) trabalhou na restauração de toda a Catedral ente 1845 e 1864.

Os três portais nessa ocasião voltarão nas suas formas originais, em 1855, com um novo estatuário que haviam sido destruídos durante a Revolução Francesa (1792).

Mainel (coluna central):

O conjunto do Mainel (“trumeau”, em francês) foi refeito pelo escultor Adolphe-Victor Geoffroy-Dechaum (1816-1892), inspirado em desenhos de Viollet-Le-Duc. Composto por uma estátua, “Le Beau-Dieu” (ou O Belo Deus) e um pedestal ornado de baixos-relevos.

A estátua de Jesus foi representado abençoando todos os homens que passam ou que entram na Catedral e segurando com a mão esquerda a Bíblia dos quatro Evangelistas.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Mainel (coluna central) da Portal do Julgamento Final. Notre-Dame de Paris

Sob seus pés, encontram-se dois demônios travestidos de dragões (ou algo parecido) sendo pisoteados, significando que as ações dos homens de bem na terra, sempre vencerão as ações do que praticam o mal.

No pedestal foram representados os “Cinco grandes profetas”: Isaías, Jeremias, Baruque, Ezequiel e Daniel.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
“Os cincos profetas”, do pedestal do “Beau-Dieu”. Notre-Dame em Paris.

Abaixo dos profetas, se encontram nos medalhões, as “Sete artes liberais” representadas por figuras femininas, cada uma com um atributo: Da esquerda para direita: Medicina, Dialética, Geometria, Filosofia, Música, Gramática e Astronomia.

Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Artes Liberais no pedestal do “Beau-Dieu”. Notre-Dame em Paris.

Colunas estatuárias:

As esculturas nas Colunas estatuárias representam os doze apóstolos, seis em cada lado da porta de entrada. Foram esculpidos por diferentes artistas entre 1853 e 1856, e coordenados por Adolphe-Victor Geoffroy-Dechaum (1816-1892) e Viollet-Le-Duc

Podemos identificá-los pelos seus atributos com exceção de Bartolomeu que teve suas mãos quebradas.

Olhando para o lado esquerdo da porta central de entrada, da esquerda para direita temos:

  • Bartolomeu. Atributo: Desconhecido. Provavelmente era uma Faca.
  • Simão. Atributo: Bíblia.
  • Tiago, o menor. Atributo: Cajado
  • André. Atributo: Cruz e forma de X.
  • João. Atributo: Cálice.
  • Pedro. Atributo: Chave.
Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Apóstolos da esquerda na porta de entrada na Notre-Dame de Paris.

No lado direita da porta central de entrada, olhando da esquerda para direita temos:

  • Paulo. Atributo: Espada e um livro.
  • Tiago. Atributo: Espada uma concha de peregrino na bolsa.
  • Tomé. Atributo: Grande régua e livro.
  • Filipe. Atributo: Cruz.
  • Judas Tadeu. Atributo: Maça e um estaca.
  • Mateus. Atributo: O evangelho segundo Mateus.
Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Apóstolos da direita na porta de entrada na Notre-Dame de Paris.

Aos pés dos doze apóstolos estão representados nos medalhões 12 virtudes do homem (linha superior) e 12 vícios (linha inferior) condenáveis dos pecadores. Um tema também abordado nos vitrais da rosácea ocidental.

No lado esquerdo da porta central da Notre-Dame de Paris, abaixo das estátuas dos Apóstolos:

  • Humildade acima do Orgulho.
  • Prudência acima da Leviandade (Loucura).
  • Castidade acima da Luxúria.
  • Caridade acima da Avareza.
  • Esperança acima do Desespero.
  • acima da Idolatria.
Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Virtudes (linha superior) e Vícios (linha inferior) lado esquerdo da porta de entrada.

Lado direito da porta central da Notre-Dame abaixo das estátuas dos Apóstolos.:

  • Força (Coragem) acima da Covardia.
  • Paciência acima da Raiva.
  • Doçura (Suavidade) acima da Dureza.
  • Paz acima da Discórdia.
  • Obediência acima da Rebelião.
  • Perseverança acima da Inconstância.
Portal do Julgamento Final na Catedral de Notre-Dame de Paris
Virtudes (linha superior) e Vícios (linha inferior) lado direito da porta de entrada.

Todas as esculturas e ornamentos da fachada ocidental da Catedral não sofreram danos após o incêndio da flecha e telhado, em 15 de abril de 2019.

Gostaria de fazer uma visita guiada em Paris? Então clique no botão abaixo para mais informações e agendamento. Aguardo seu contato! Tom Pavesi!

Fotos: Wikimedia Commons.

3 Comentários


  1. Parabéns. São coisas que ninguém sabe o significado. São informações preciosissimas para os amantes da arte.

    Responder

  2. Parabéns! Uma verdadeira lição bíblica e artística ! Realmente entramos e saímos várias vezes da Notre Dame e confesso, desconhecia completamente a história! Com certeza, da próxima vez ao fixar o olhar, mesmo distante terei uma visão diferente!Obrigada!

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *