O Zouave da Ponte de l’Alma

O Zouave da Ponte de l’Alma

Tempo de leitura: 4 minutos

Quem é o Zouave da Ponte de l’Alma ?

A construção inicial da ponte ocorreu entre 1854 e 1856. Foi inaugurada por Napoleão III em 2 de Abril de 1856, Na época, cada um dos quatro pilares da ponte foi decorado com uma estátua de natureza militar: o Zouave de pedra calcaria (1854), de Georges Diebolt foi o único que restou.

O Zouave (como eram chamados os antigos soldados argelinos) é uma grande estátua localizada em um dos pilares da ponte d’Alma e desde 1856 vem sendo usado para medir o nível das águas do rio Sena.

Zouave : Soldado de infantaria do exército colonial francês na Argélia, atuou em todas as guerras a favor da França, na África do Norte.

Zouave, quase coberto pelo rio Sena, Paris.

O regimento de Zouave existiu praticamente durante todo o período em que a Argélia (assim como uma boa parte do norte da África) foi colônia francesa, de 1830 a 1962.

Apesar de atualmente o nível do Sena estar sendo medido também a partir da ponte d’Austerlitz, o Zouave é ainda bastante popular em Paris e não perdeu sua função. Ele funciona da seguinte maneira:

  • 3,20m – O estado de alerta é decretado pelas autoridades quando a água chega à base plana sob os pés do Zouave.
  • 3,40m – Quando o nível do rio cobre os dedos dos pés do Zouave as vias de acesso aos passeios que margeiam o Sena são fechadas aos pedestres.
  • 4,30m – Navegação é interditada no Sena quando a água chega até as canelas do Zouave – desde que ele passou a guardar a ponte d’Alma as águas do rio só passaram deste ponto em 5 ocasiões históricas.
  • 5,20m – As barras da calça do Zouave foram atingidas pelas águas em 2000.
  • 6,18m – O rio Sena chegou a molhar os joelhos do Zouave em 1982
  • 7,12m – O rio Sena alcançou a cintura do Zouave em 1955.
  • 7,32m – O rio Sena subiu pouco acima da cintura do Zouave em 1924.
  • 8,62m – O maior recorde já registrado foi na grande cheia de 1910, quando o rio chegou até os ombros do Zouave.
O Zouave da Ponte de l'Alma
Zouave da Ponte d’Alma, Paris.

Zouaves

A palavra Zouave vem do árabe magrebino, zwawi, que significa confederação de tribos Cabilas, que englobava várias províncias, nas regiões montanhosas, do norte da Argélia. Após a anexação da Argélia pelas tropas francesas, em 1848, e criação dos três novos departamentos franceses: departamento “d’Oran”, departamento da Argélia, e o departamento de Constantino, os “Zouaves” foram incorporados como soldados franceses para combaterem os seus conterrâneos argelinos, que ainda resistiam contra a ocupação estrangeira.

Desde 1852, com o imperador Napoleão III, os zouaves ganharam uniformes distintos, armas, e treinamento para participarem também em guerras fora do continente Africano.

Em 1853, após, os russos invadiram uma parte do império otomano, ingleses, irlandeses, italianos, franceses, zouaves e povos otomanos, entraram em guerra para barrar essa tentativa de expansão territorial russa.

O desenrolar da guerra foi próximo ao mar Negro, entre as fronteiras da atual Ucrânia com a União Soviética, região da Crimeia, nome que ficou marcado na história como: Guerra da Crimeia.

Em 1854, uma batalha sangrenta aconteceu nas margens do rio “Alma”, onde apesar do grande exercito russo defenderem com força, a base naval de Sebastopol, os simples e astuciosos, “Zouaves”, escalaram as montanhas próximas, (Montanhas Malakoff), tomando de surpresa toda a artilharia russa, que fazia a proteção da cidade, voltando todas as armas contra os próprios russos.

Após esse ato heroico dos Zouaves (primeira expedição deles, fora da África), os aliados conseguiram avançar e vencê-los entre outras regiões dentro do Império Russo.
Em 30 de março de 1856, com a derrota, os russos assinam sua rendição, pelo Tratado de Paris.

Atualmente existem homenagens aos Zouaves algerianos, em Paris:

Pont de d’Alma: Nome do rio onde se travou a batalha, ALMA, e onde se encontra a escultura de um “Zouave”, ilustre herói desta guerra, hoje indicador das cheias do rio Sena.

Metro Crimée, linha 7: Nome desta guerra, em português, Guerra da Crimeia.

Metro Malakof – Plateau de Vanves, linha 13.

Boulevard de Sébastopol: Nome da cidade, e da base naval, onde se travou a batalha vencedora dos Zouaves e aliados.

Malakoff: Periferia de Paris, e nome da montanha que os “Zouaves” conquistaram da artilharia russa, dando a vitória aos aliados.

Metro Malakof / Plateau de Vanves, linha 13.

Metro Malakoff / Rue Étienne Dolet, linha 13.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *